<BODY>
Lady Gwen
 

Arquivos

Home
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Outubro 2007
Maio 2009

Template by Theya





terça-feira, 30 de agosto de 2005

Aludindo ao ultimo post dele: eu sou mesmo um zero à esquerda!
Calma... é que já procurei em meu arquivo interno e externo palavras pra agradecer minha roupa nova e não encontro! É vã qualquer coisa que eu eu faça pra encontrar palavras...
*
Uma vez descrevi essa pessoa como hipertexto.
No dicionário: 1 Rubrica: editoração.
apresentação de informações escritas, organizada de tal maneira que o leitor tem liberdade de escolher vários caminhos, a partir de seqüências associativas possíveis entre blocos vinculados por remissões, sem estar preso a um encadeamento linear único
2 Rubrica: editoração, informática.
forma de apresentação de informações em um monitor de vídeo, na qual algum elemento (palavra, expressão ou imagem) é destacado e, quando acionado (ger. mediante um clique de mouse), provoca a exibição de um novo hipertexto com informações relativas ao referido elemento; hipermídia.

Agora, hipertexto me parece um pouco vago e totalmente insuficiente. Surpreendente, cativo e apaixonante descreveria melhor a coisa. A pessoa...
*
*
Ah, ali no canto sou eu! Bem, na verdade é o espelho, o que dá no mesmo. A foto foi editada, mas só superficialmente. Coloquei em risca de giz pra que não ficasse na cara que sou eu - o que é genuinamente burro, afinal, as pessoas que, até hj, viram a foto, viram através de mim. De quem mais seria? Rs. Tinha perdido todas as cópias dela - sem máguas ou rancores por isso - mas recuperei pra enviar pra alguém especial...
*
*
*
Thanks.
Again...

Enviado por Ban às 12:13


Fim de domingo:
. Apartamento vazio...
. Vizinho chato até as 10
. Morta de sono
. Jornal de notícia velha, que me interessa
. Medo
. Dormir só...
*
Já a minha segunda, foi um reflexo da noite de domingo. Exceto, é claro, pelo vizinho chato!!! Aliás, tenho um bom remédio pra isso: Tranco a porta, e fico quetinha lá dentro. O que não me é difícil, estando só. Não tenho livro pra ler - quer dizer, eu tenho, mas não tenho tempo. Não mais...-, tv pra assistir, som pra ouvir, nem eu mesma suporto ouvir o som de minha voz cantando, sem computador pra chingar e sem matéria de Calculo pra estudar. Resumindo: Sem argumentos. Muda, sem ter com que usar o som de minha voz! É, pq ontem eu estudei algebra, e, com ela, não dá pra discutir...
Deu pra notar que não é mais lógica quem me mata, né?
Pois é. Apesar de crêr que eu mereço uma professora de lógica melhor, meu maior problema é com algébra. Pq ela tem de ser tão... Tão... Tão simbólicamente complicada?
*espreguiçando*
Minha segunda foi tão preguiçosa qto poderia.
Até estudar, estudei deitada...
*
*
Sem revelações inúteis: todo mundo vai ter de sobreviver sem saber como vai meu estômago, e, ... deu branco.
Eu odeio qdo isso acontece...
*
*
*
Não tenho estado ansiosa. O que me preocupa. Quer dizer, não preocupa, preocupa... É que é totalmente estranho - a mim - não ver minhas pernas tremendo o tempo todo. Não sentir o tempo todo aquela sensassão de conforto que me diz que vai acontecer algo...
Não estar ansiosa, pra mim, é como esperar que algo aconteça. Sério! Hum... deixa eu ver se sei explicar: Asssim... naturalmente, já sou ansiosa. Não espero nada, é apenas... sou apenas eu, vivendo mais um dia!
Mas sem ansiedade, é como pisar em ovos, fazer tudo metódica e cuidadosamente à espera de ... nada!
Pra mim essa falta de ansiedade prescede uma mudança.
Pq?
Oxe, pq ninguém pode viver assim! Sem esperar nada...

Enviado por Ban às 07:12


domingo, 28 de agosto de 2005

O máximo de cultura que eu posso oferecer hj...

Medo.
Eu tenho medo das coisas mais improváveis do mundo.
Vomitar
Mortos
e... essa me parece plausível: ser vista como burra, inconveniente.
Aliás, todas elas me parecem plausíveis, mas, conversando com uma pessoa da Faculdade a esse respeito parei pra pensar - novamente - e cheguei à conclusão - novamente - que medo não se explica. Não dá mesmo. Assim como não dá pra descrever a sensação que sinto qdo a gar... argh! Assim como não dá pra descrever o ato, não dá pra descrever o pavor...

Mortos. Medo não escolhe cara, etnia, cor, religião ou grau de parentesco. Entra todo mundo na fila na hora de me arrepiar os cabelos!

Eu simplesmente não sei. As pessoas normalmente dizem aquela frase muito mais que clichê: vc devia ter medo dos vivos, eles é que podem te fazer mal. Os mortos tão mortos... Como se eu não soubesse que os mortos estão mortos! Até espera-se isso deles, afinal, estar morto é a condição ideal para... para se estar morto, ué! E é desse principio que eu parto: se um morto tá morto, o que ele pode querer comigo, que tô viva? Matar-me do coração. Fazer-me o mal dos males que qualquer ser humano desconhece - E é exatamente por isso que todo mundo me pergunta: o que um morto vai te fazer de mal?

Ninguém sabe, ninguém sabe...
Parecer/ ser burra, inconveniente. Essa é obvia e me recuso a falar dela.
Medo, paixão e desejo - pra mim, as únicas coisas que não se explicam. Eu tentei explicar, mas eu tô me sentindo meio insana, irracional hj... Então não conta!!!
.
.
Acho que eu sou um dos poucos seres humanos - inclua nesses poucos aí Dave Grohl, e Noel Gallagher, por favor! - que não peida! Mas hj eu tô sofrendo por isso... Tô tomando remédio pra me livrar deles, daí, seria um ser humano normal, como todos vocês!!!
.
A culpa foi da calourada...
Primeiro pensei que foi por eu expirar / inspirar todo aquele ar maconhado que o povo do curso de serviços sociais nos obrigava a respirar, mas, logo descobri que foi aquele filho da puta do acarajé que comi - ainda como primeira refeição do dia, às 19:00h.

Por causa de um acarajé, eu não peido
...

Enviado por Ban às 15:55


sexta-feira, 26 de agosto de 2005


Há uns anos, eu pensava que vinha de um mundo diferente, em que as coisas aconteciam ao contrário! Queria viver como filme, chorar, amar, sofrer e ser feliz idem. E, pra todos os momentos de minha vida, vinha, como nos filmes, uma música que tocava no fundo. Pra gravar aquele momento mesmo qdo eu o esquecesse.
Agora, tento fazer isso somente com as pessoas...
History “The Verve”– Chris
Futuros amantes “Chico Buarque” – Red
Não faço idéia do nome da música, ou quem a canta. Só sei que era tema de Paco, Apolo, sei lá!, da novela ... Hum... Da cor do pecado – Mel. Mas quase tudo me lembra Mel, aí não conta...
Mind Games “John Lennon” – Papai
Coco Bambu “Asa de águia” – Marcio Navarro. Coisa de um passado muito, mas muito distante! Primeiro namorado de Laiza que hj tem até filho! Ela. Ele não. Ele mora aqui em salvador mas eu não vejo nunca!
Getting Better “Beatles” – Érik, criatura que hj eu sei, não verei mais nunca!
Happiness “Beatles” – Paulinha. Aliás, essa é uma das músicas deles que eu não gosto, mas se ela vive cantando, fazer o q.?
For you Blue “George Harrisson” – Dy. No coments.
Best of you “Foo Fighters” – O impronunciável: Me faz lembrar
dele.
Ouvi a música, vi as cenas que formavam o clip, a associação foi inevitável! Mas às vezes, parece muito mais que associação...
Mother Nature son “Beatles” – Marquinhos, my sister. Tá, qdo ouço Avril Lavige lembro tb do qto tive vontade de arrancar os olhos dele, faze-lo sofrer o tanto que eu sofria por ser obrigada a ouvir, o dia inteiro, aquela pirralha idiota! Ódio! Inda bem que existem Beatles, inda bem...
O Vento “J. Quest.” – César, Rio de Janeiro, Brasil. Não quero mais que ele morra devagarzinho, mas a música é como vê-lo...
I Remember you – pronto! Esqueci o nome da banda que toca!!! Mas ela é a cara de Marco.
The Boxer “Simon and Garfunkel” – é como ver papai de mamãe. Juntos.
Blackbird “Beatles” – João Carlos. Fazer o quê, né! Brincadeira! Na verdade, sei nem pq escrevi isso. Ah, ele canta essa musica melhor do que qualquer ser humano faz qualquer outra coisa.
You´ve got to hide your love away “beatles” – é a minha música, mas é a cara de Ricardo. Sempre que eu chego na casa dele ele pega o violão e começa a seguir meus passos tocando e cantando ela. Só pq sabe que eu gosto!!! Tão lindo!!!! Meu primo não é lindo??? Rs. Ontem eu tava na praia e tinha um cara tocando ela... Olhei pra todos os lados procurando Ricardo. Eu achei mais possível ele estar na praia que ter um betlemaníaco assim, solto por aí, à deriva.
Pais e filhos “Legião Urbana” – Laiza e Márcio Navarro. Juntos ou separados.
All my life “K-ci and Jojo” – Casa de Neila.

Wish you here "Pink Floyd" - Uirá. Ele nem deve lembrar que alguém, tão eclética quanto eu, exista!
... e por aí, vai!

Agora não me lembro de mais nada, a não ser das minhas músicas – que não me permito associar a ser humano ou momento algum, afinal, nada mais perfeito que apenas me deliciar ao som de Can´t Stop Loving you, Not Enough “Van Halen”, My baby, trust me “Janis Joplin”, Mine All Mine "SheDaisy", Thank you for loving me “bon Jovi”... Não sei se já disse, mas é ao som de uma delas que eu vou me casar... Só não digo qual!
Ai, ai, ai... TÔ falando em casamento demais hj...
é melhor ficar calada...

Enviado por Ban às 13:39


eu sou mesmo uma zé mané, uma bosta n´água, um zero à esquerda...
SE eu sabia que ainda não tava boa da garganta, que tinha que ir fazer na praia?
Tinha de ir lá pra seguir o conselho de minha amiga do peito Engraçadinha, tomar um banho de mar e limpar a alma e, ficar vermelha como quem vai participar de um concurso pra tomates e pimentões maduros! Tô parecendo um gringa de verdade... Falta escolher uma lingua preu falar...
Resultado da praia - uns minutos de água gelada do mar e o resto debaixo do guarda sol: garganta pior que tava, e eu tô literalmente, toda ardida! Pode fazer piada, daquelas do tipo "Ai, tô toda ardida!!!", eu mereço...
Mas pelo menos deixei a alma de Evandro um pouco de lado...
.
Um pouco...
Não sou muito boa em lidar com mortes, e a de Evandro bateu de uma maneira toda ... bem, lidar com esse fato está sendo estranho demais. Acidente. Corpo sem reconhecimento, largado no IML... SE fosse em Guanambi, 10 segundos depois de ele cortar o dedo, sua mãe ja saberia, aqui... aqui, 10 horas da manhã do outro dia ele ainda estava lá, sob a lona preta numa câmara gelada...
Parei!
Não estou toda ardida pq decidi que ia deixar essa história de lado? Pois é, vou pensar nas minhas queimaduras, em minha garganta e em minha burrice!
Eita muié burra!!!!
Gente, e eu tava debaixo do guarda-sol, é que eu sou o que se pode chamar de... Urubu sem sote! Piada interna...
.
.
Resolvi, por causa de algo que li, passar um tempo no canto, à espreita... Bem, parece que afastei alguém... é alguém linkável, mas não vou ousar!
.
.
.
Depois, qdo eu, pelo menos Desarder um pouco, escrevo mais um tiquim... Tõ com vontade mas sem... nem sei!

Enviado por Ban às 08:00


quarta-feira, 24 de agosto de 2005

Qdo eu era pequena, sempre ficava grilada qdo mamae dizia que eu era "sabida" demais pra minha idade, e, nao tirava isso de minha cabeça. Aquela história de que eu sabia tudo de sexo, de que sabia me portar e conversar com pessoas de qualquer idade. O lance do sexo e de saber me portar nao me preocupava, pq isso eu sabia que, ficando caladinha num canto, era nota máxima na certa!!! Mas e qto a saber conversar? Essa questão me deixava com cabelos brancos!
Me preocupava com isso, sério! Em meus 7, 8 anos de idade, minha casa só vivia cheia de gente que eu achava o máximo dos máximos, amigos de mamae e papai e, eu queria, mais que saber me portar, falar com eles, poder prender a atenção deles. Me tornar interessante pras pessoas que eu achava tão interessante!
Chamei Juliana num canto. Para Juliana, lê-se vizinha seis meses mais nova que brincava comigo.
- Jú, Eu sei conversar?
- Vc tá conversando...
Pela resposta dela, vi que nao ia dá certo.
- Hum... Coisa séria?
- Acho que sabe
- Vamo conversar um pouquinho.
- Então tá...
-"..."
-"...!"
- Vamo brincar de quê?
Desisti de Juliana. Teria de ser com outra pessoa.
Passei a brincar com Rosa. Segundo grau, enquanto eu era quarta-serie primario. Provavelmente 10 anos mais velha. A casa só vivia cheia de adolescentes e adultos. Ela sempre conversava com todo mundo, pois eu via qdo passava na porta dela. Quem poderia ser melhor pra avialiar a "qualidade de meu papo"?
Na minha opinião, ninguém.
Mas com Rosa, resolvi usar uma estratégia diferente. Eu iria apenas observar seus passos, nada mais.
Passei a frequentar a casa dela.
No primeiro dia, nao deu em nada.
No segundo dia, mal entro, Rosa me chama na maior cara de felicidade:
- Vamo brincar? Quero te ensinar uma coisa...
Desistir de saber se eu conversava ou não. Resolvi aprender a desenhar roupas e costurá-las. Nesse quesito, sim!, eu podia perguntar a Rosa se eu estava aprovada, decidi. Em nenhum outro mais.
Por hora, íamos criar roupas de bonecas com desenhos mirabolantes! Qdo chegasse o momento de ter conversas sérias, meu interlocutor decidiria por mim, sem eu ter me ocupado disso antes... Bem, depois de Juliana, é claro!
Cheguei a conclusão, estudando Rosa de perto, que aquela era a hora de eu brincar, que o resto simplesmente, aconteceria! E que qdo eu tivesse que fazer coisas sérias, iria sentire falta daqueles momentos e que fazíamos bonecas com raízes e roupas com folhas, então, suguei tudo que pude dos dias que eu tinha na casa de Rosa.
Posso não ser boa de papo, mas tive uma infancia bem vivida, porntanto, serei um adulto melhor!
Ah, e qto ao verbo, tá certo. Ainda serei uma adulta, um dia... se Deus quiser!

Enviado por Ban às 07:22


segunda-feira, 22 de agosto de 2005

Hj eu tenho certeza: Eu não joguei pedra na cruz - atirei com espingarda de pressão municionada com chumbinho!

Enviado por Ban às 10:11


domingo, 21 de agosto de 2005

Uma vez, por certeza de ter perdido algo, fiz um poema.
Não foi um poema de amor, de tristeza ou de solidão. Foi só um jogo de palavras que saiam de minha mente com força de minha mente. Foi só um grito por socorro, um socorro que não era pra mim. Era pra algo maior...Não haviam rimas, mas também não era nada sonoro, melodioso como os poemas devem ser.
Tb não era bom...
Talvez só pretencioso.
Ninguém nunca leu, ninguém nunca vai ler.
Rasguei o papel que estava escrito, me arrependi nos primeiros dois segundos em que caiam os pedaços no chão. Colei-os de volta para, então, queima-los no cesto de lixo que havia em meu quarto. O cesto derreteu. A dor foi maior por ele que por aquele amontoado de palavras que eu ja tinha me arrependido a muito de transcrever...
Mas, se eu fechar os olhos agora, colocar pra tocar "All My Life- K-ci and Jojo", não vai ser do cesto cor de rosa que eu vou lembrar, será do céu de uma áfrica perdida, inebriante. Sêca como minha boca pelo desejo, ardente como os pensamentos que corroem cada pedaço de minha alma, rica como os caminhos que posso percorrer pra chegar até onde vc me espera. Faminta...
Como eu disse, medíocre.
.
Desta vez ninguém vai ler nada, que é pra ficar guardado em mim, não documentado. Que é pra não passar...
.
.
Pra ver se consigo tirar Best of you da mente, Oasis. Oasis tira qualquer coisa da cabeça, qualquer coisa...
"So don't go away, say what you say
But say that you'll stay
Forever and a day...in the time of my life
Cos I need more time, Yes I need more time
Just to make things right ..."

Enviado por Ban às 16:20


Dá pra se ocultar qdo se entra em uma palestra - ja no meio - com todo mundo caladinha, leva um tombo e tem uma crise de riso?
Me ensina!?!
.
Esquece o trote. Até eu vou esquecer...
Um dia.
.
.
Odeio Pitty. Tb é só pra registrar...
.
.
.
Tenho uma coisa massa pra dizer, mas, como é história de ponto de ônibus, vou passar!
.
.
.
.
E... Nada não!
Já que tomou esse rumo, deixa do jeito que tá.
Só queria parar de pensar no tema um pouquinho...

Enviado por Ban às 07:51


quinta-feira, 18 de agosto de 2005

Ódiooooo!
.
81 e-mails novas em minha caixa do yahoo. Não, não tem uma vida que vou lá, faço uma vistoria diariamente, duas vezes no dia, mas hj o orkut me assustou!
Dessas 81, 53 tão sempre lá, é que eu, não faço ideia de pq, não li. Normalmente pps, he he he, ou algum mensagem que vem dobrada - leio uma e apago. Só não sei pq Diabos guardo uma cópia...
Todas as outras mensagens, Orkut. Não, eu nao recebo tantos scraps assim. Nem e-mail´s ...
.
.
e-mail mais criativo que ja vi: tonhoetereza@xxxxxxx.xxx
é de um colega de trabalho. Nada de nome e sobrenome, nome-idade e etecéteras. Tonho e Tereza. Simples e assim!
.
.
.
Eu tinha um post sério pra hj, mas alguém leu, daí achei que não tinha graça eu postar hj. Hj, pq depois eu posto!
Se eu fiquei chateada pq foi lido? Hum-hum. Negativo. Eu sei, devia estar puta da vida, decretar que em minhas coisas mecho eu, que minhas coisas, leio eu, mas.... ia adiantar? Não. Qdo se têm respeito, não precisa de advertencia, né?
Mas, sinceramente, esse conformismo meu às vezes me mata! Na maioria vezes, deixo as impressoes das pessoas à propria sorte, jogadas ao vento, sem me atingirem - nem de raspão. Às vezes arranha...
Mas eu arranco a casca!
Têm dias que chego a pensar que nada mais que vier do ser humano vai me surpreender, afinal de contas, tudo tem um lado negro, um quê de maldade... Enfim!, pq a imagem importa tanto?
Pra mim a imagem não é nem um reflexo nem uma projeção, é apenas rótulo.
E eu odeio rótulos.
.
.
.
.
Quero um template novo...
Tô narcisista. É mentira, tô não, mas tem uma foto minha que acho que combina muito bem com meu "perfil" aqui.
Alguém se habilita?
Não tô pagando 5 ovomaltines não - nunca faria isso a ser humano algum! -, mas negocio bem!!!
.
.
.
.
.
Hauhauahuahauhauahuahua!
Me lembrei de uma coisa. O que, virou hipertexto e me fez lembrar outra: pq as coisas comigo só acontecem em pontos de ônibus?
Bem, agora "a coisa" que lembrei: eu amoooo, de paixão, matar baratas. Juro. E ontem, dez e alguma coisa da noite, depois de minha aula, no ponto de ônibus, um veterano lá da faculdade que tava meio "tomado" ficou olhando fixamente pruma barata que vinha na direção dele. Com o copo ainda na mão, andou meio tropego até o pobre do invertebrado, colocou seu Nectar sagrado no chão, tirou o chiclete que mascava da boca, pegou a barata pelas antenas e colou a borracha pegajosa nas asas da D. baratinha.
Olhou pra o asfalto e ficou uns 10 minutos estudando todas as possibilidades. Ainda com a barata e o chiclete na mão.
Eu fiquei lá, olhando e me perguntando em que local do oriente médio ele foi treinado.
Agora vem a melhor parte: Ele espalmou o asfalto com a mão livre pra medir a distancia entre o passeio e o local onde os pneus dos carros passavam e foi lá e colou a barata.
Ficou esperando o primeiro carro passar. Errou.
Mediu de longe, foi lá e colou a barata novamente. A coitada esperniava!!!!
Bem, passou um taxi e esmagou a baratinha e o terrorista proferiu apenas um sonoro "he he!", pegou seu copo do chão e deu um belo gole!
Lamentei profundamente não ter uma camera digital, ou pelo menos que meu tijolinho não tirasse foto... Eu juro que ia documentar tudo!!!
.
.
.
.
.
.
Eu ainda prefiro usar a sandália pra esmagar baratas, mas não posso negar que criatividade o moço tem de sobra!!!

So don't go away, say what you say
But say that you'll stay
Forever and a day...in the time of my life
Cos I need more time, Yes I need more time
Just to make things right
*Oasis*
Da tempo? Da sim!!!

Enviado por Ban às 14:18


In love...

Enviado por Ban às 06:43


terça-feira, 16 de agosto de 2005

Eu sempre pensei que ia morrer de tristeza qdo me separasse de Gera algum dia, mas nunca pensei que um arranhão nessa relação fosse, pra mim, um suplicio maior que o próprio ato de ver uma amizade de tanto tempo, se quebrando.
Sim, o Kart nos arranhou.
Não necessariamente nesta ordem, afinal de contas, ja aconteceu inumeras vezes não acabar não dando certo de irmos a inúmeros lugares. Mas é que...
É que era importante pra mim que, com o afastamento iminente entre ele e ... ela, era importante que ele nao se afastasse de mim tb...
Não sei como escrever, não sei dizer o que estou sentindo, o que senti ontem à tarde, qdo acordei depois de ter adormecido na cama dele por tê-lo esperado, em vão, voltar. A tarde toda...
É como se me evitasse. Não está em casa, o celular quase sempre desligado, uma visita rápida apenas pora deixar a tv que Mamãe mandou de Guanambi, e, pelo telefone fixo, apatia.
Preferia que me esguelasse, gritasse com toda a força que ha em seus pulmões que não aguenta mais minha neurose e a dependencia que eu tenho dele. Isso ia machucar, mas ia passar... a dor seria enorme mas eu sentiria raiva por trás dela. Parece demais com Closer, eu sei, mas a raiva é melhor que a decepção...
Estou decepcionada, sim! Fomos muito acostumados a gritar nossos incomodos, arrancar a casca da ferida um do outro e depois cuspir ácido em cima, afinal, é esse o trabalho dos melhores amigos, e não ficar mudo no telefone depois de me ouvir pedir pra não fazer isso...
Não faz isso...
Não vc, caralho!
não me deixa só...
.
.
.
me deixou.
Agora, chorar parece o melhor o remédio...
Vou chorar, sim!
Ponto.

Enviado por Ban às 09:38


Pensa numa pessoa com raiva.
Pensou?
Agora acelera!
Essa daí fui eu no domingo, prestes a ter um enfarto ou sei lá o q. depois que aquele cabeção me ligou pra dizer que nós não íamos pro Kart. Essa porra de palavra é com C ou K mesmo?
Tenho que chingar mais aquele... infeliz;
infame;
indigente...
Ai, por favor, mais insultos e injúrias com a letra i. Gostei do som que elas fazem...
Idiota!
Eu tava feliz pq ia pro Kart... Tão feliz!!!!
Sentia meu instinto assassino à flor da pele, mas tive de conter meus impulsos. E isso pq? Sabe lá Deus! Mas haverá represália, ele me paga...
Além de tudo me acordou ontem...
Unf!
Me acordou depois de eu ter dormido sozinha numa noite que eu planeja dormir lá, na casa dele!
.
.
.
Encontrei keléu no Erkut.
Às vezes eu me pergunto pq a Escola Agrotécnica ainda é tão presente em minha vida... Eu mato quem responder que é por causa de Gera...
MAs independente do que eu costumo chamar "negócios inacabados" com a escola que eu estudei e pessoas que, de um modo ou de outro, fizeram parte de minha vida naqueles dois anos, tem também o lugar... É como um oasis...
Eu tava olhando uma foto da terra tirada por satélite - recurso do google - e, fui saciar minha sede de conhecimento-visual-aéreo de alguns lugares. Um deles foi Guanambi. Que deu um trabalho da zorra pra eu eu Sr. R acharmos e é, eu diria, apenas 3X mais feia que na realidade. Rs. Brincadeira... Eu gosto de minha terra, tenho raízes - e asas - mas, vamo dar a césar o que é de César e a Guanambi o que é dela: Lá só tem mato seco!
Mas qdo a gente se desloca um pouco por lado e vê aquele vale magnífico que é Ceraíma... Meu Deus! Qdo eu crescer quero ter uma roça no Baú... Do lado da Barragem que abastece Guanambi, todo o distrito de Ceraíma - lógico- Pindaí e Candiba. Tem a outra lá, mas não lembro o nome...
E todas aquelas serras, que, me orgulho ao estufar o peito e dizer: eu já subi!
POr vezes, companhias e motivos diferentes.
A primeira vez, ainda fazendo o curso de Técnico em Agropecuária numa odisséia inebriante. Lógico que eu era a única mulher na empreitada! Como se houvessem mais em minha sala pra ir...
Parei senão choro!
.
.
.
Tem... Ah, nada não!
A música vai acabar saindo de minha cabeça, nem que pra isso eu tenha que arranca-la de lá, na marra!
Eu consigo lembrar do sonho e de quem eu quiser sem ajuda dela, então, pq ela fica martelando em minha cabeça?
.
.
Ah, Acho que existe outra musica pra a mesma situação de Not Enough... Advinha?

Enviado por Ban às 07:11


domingo, 14 de agosto de 2005

Filosofias de ponto de ônibus, ôps!, filosofias de paradas com tecnologia francesa para transportes urbanos às 6 da manhã:
Cara 1: Cabelo raspado embaixo, enorme na parte de cima e pintado de amarelo.
Cara 2: A copia quase fiel, porém menos ... mais claro e com menos cabelo pintado. Ah, e mais baixo. Assustadoramente mais baixo.
Cara 1: Rapaixxx, inda vou sair nadando até chegar no lugar onde o céu encontra o mar...
Cara 2: Boto fé...
...
3 Criaturas estranhíssimas passaram ao meu lado.
Bem, deviam ser estilistas ou... filósofos, como descobri depois.
Cara 1: Caaaara, ontem pra mim é ontem e hj pra mim é hj!!!
Eu: "...!"
...
Bem, vi tb o beijo mais apaixonado que eu podia ver a essa hora: Um cara, tipo armário, gruda a boca com aquela sede/fome tão conhecida nas grandes paixões.
Um cara, tipo armário, com camiseta-preta-transparente-colada-no-corpo retribui esse beijo como se fosse a ultima coisa que irá fazer no mundo!
...
E o meu ônibus não veio...
.
.
.
Dormi sozinha em casa!!!!
Sou uma guerreira, uma heroina destemida!!! Não, o que sou é uma vilã feia e má, isso mesmo, muito feia e muito má!!!! Quero uma verruga pra ponta de meu nariz!!!!
Nada de varinhas de condão, em meu aniversário só aceito necronomicons - é assim que escreve?- rabinhos de lagartixas, asas de morcegos e vassouras de piaçava! Tsc, a vassoura é preu voar, ora bolas! Cês acham o quê, que vou continuar andando de ônibus a vida toda? Bah! Mas não vou mesmo...
.
Ligo a tv- Best of You.
E de todas as coisas que eu faria hj, pensar era a única que não se encaixava em minha lista. Mas tava lá Dave Grohl, esbravejando contra o microfone com aqueles dentes enormemente lindos, aquele jeito sensualmente faminto que ele tem, e, detesto admitir, aquela barba...
OOOOODEIO pêlos, inda mais depois de, ateontem, acordar com um cabelo em minha boca. Foi horrível! E olha que o fio de cabelo era meu, de minha cabeça e que tava limpo pq não tinha 12 horas que eu tinha lavado...
Odeio pêlos mas nada pode combinar mais com Dave Grohl que aquela barba... E nada poderia deixar ele mais... Que palavra define ele? Bem, eu diria que ele está para o mundo das mulheres como Angelina Jolie está para o mundo dos homens. Mas se ele não tiver, fico feliz de ser a única a pensar assim, pq, imaginarei que tenho o péssimo gosto e, sendo assim, os outros seres humanos que, citando Endora, fazem cocô tb pareceram pouco atraentes pras outras meninas...
Daí, seguindo uma linha de raciocínio meio idiota- mas estou perdoada pela hora manhã que faço isso- o caminho fica livre pra eu atacar quem quiser!
Ou ser atacada.
Mas não foi em Dave Grohl que o clip me fez pensar.
E, como meu nome não é Alice e o país das maravilhas não tem entrada franca pras Fernandas, eu tenho o que se pode definir como um bom gosto. Ou anda todo mundo averso ultimamente...
Ah, tem uma pessoa que, não anda por aí, rolando de canal em canal, revista em revista, e... Tenho certeza, ... Não. Deixa pra lá, tá cedo demais pra eu andar soltando coisinhas infames desse tipo.
Até pra mim...

Enviado por Ban às 07:32


sexta-feira, 12 de agosto de 2005

Existe uma vantagem de ter o mesmo tamanho desde os 10 anos de idade - sim!, eu era alta pra minha idade! - eu ainda posso sentar no banquinho ponto de ônibus - daqueles de vidro, acrilico, sei lá!, feito em algum lugar do nordeste que não é aqui. Tá, eu sei, sem graça, mas existe alguém que vai entender! - e balançar minhas pernas pra frente e pra tás!
Foi exatamente o que eu fiz ontem antes de ir pra faculdade: andei um pouco mais, pra pooder ficar sentada pois, a dor no corpo que eu tava sentindo, ja tinha descoberto ser febre, e fiquei lá, com a cabeça jogada pra trás e, simplesmente balançando as perninhas.

Tô com sono pq dormi mal, quebrada em mil pedaços por causa da gripe e morrendo de frio não somente pela febre mais por causa dessa cópia suburbana de aspen! Ô Ar condicionado filho da puta!

tô com saudade...
tô com vontade...

tô com preguiça e mente vazia.

Enviado por Ban às 07:28


quarta-feira, 10 de agosto de 2005

Que ódio!
Nunca mais eu posto, nunca mais!!
Est inferno de computador só pode tá zuando com minha cara! Porra! E não adianta dizer pra eu usar o velho e bondoso Ctrl+C pq eu tô cansada de saber! Porra! Esse infeliz sumiu com meu post antes de eu fazer qualquer coisa, antes de eu pelo menos pensar em usar qq comando!
Vou postar sim... Não dou esse gostinho pressa lata veia!
Lata- veia, lata-veia!!!!
Unf!
Espero que ele tenha ficado bastante ofendido!
Tô com um post enorme - umas 5 folhas, eu diria- escrito em um caderninho que fiz o favor de ganhar num coquitel que fui do cursinho de Má que fala sobre quem é Fernanda Frota. Bem, isso pode parecer totalmente irrelevante, inda mais se for levar em conta o resultado que eu espero, mas, escrevi mesmo assim. Mas, só vai estar aqui, um dia, não sei qdo. A história de que os fins justificam os meios, nesse post ao qual me refiro, não cola. Escrevo um bucadão só pra dizer que não me importo... Passo uma vida argumentando, dizendo quem sou eu, do que gosto/desgosto, faço, deixo de fazer, fiz, farei, não fiz, tenho horror à idéia de um dia fazer, sonhos, prazeres, amarguras, ressentimentos, paixões e esperanças pra, no fim, dizer que não dou a mínima pro que pensam ao meu respeito. Mas é verdade. Não dou a mínima, salvo algumas excessões. E acho que esse post foi escrito pra que as excessões se identifiquem no momento em que tão lendo, e, que aquelas pessoas que eu simplesmente não dou a mínima, se situem e vejam que, se eu não argumentei, não discuti, é pq simplesmente sua opinião NÃO ME IMPORTA!!!!
Então...
VC pode não entender o que sou, mas aceita?
Até uma estúpida quinem eu sabe que, às vezes, é inutil discutir.
Entende, senão, vou fazer parte do time dos que torcem pra uma sucuri te dar uma abracinho!!! Sim, tem quem torce sim!!!! Mas eu inda defendo!
Aula de lógica.
Chris=Professora.
Chris: Pessoal, vou fazer a chamada pra conhecer vc´s e sua história com a lógica da programação. Eu digo o nome de vc´s, vc´s se identificam e digam se são calouros ou veteranos. Se veteranos, qtas vezes tá cursando a disciplina. - olhando a lista- Andréia.
Andréia: Veterana. 4 Vezes.
xiiii, começou mal.
Chris: Andriano?
Adriano: Veterano. 2 Vezes.
Chris: Aline?
Aline: Veterana. 2 Vezes.
Chris: Bruno?
Bruno: Calouro.
Cara de alívio por parte de Chris.
...
Calouro, veterano - 3x, veterano- 2 x, calouro, veterano, veterano, veterano.
Chris: Férnanda?
Eu: Desistente. Vou agora ver o que posso fazer pra ter dispensa da disciplina.
Chris: Calma. Não é assim tão ruim... Espera terminar a lista, aí vc me diz!
Tá bom.
Calouro, calouro.
Veterano, veterano, veterano, calouro, veterano, veterano.
Calouro.
Veterano, veterano, veterano.
Fim da lista.
Chris me olha e diz: Não tenho argumentos. Mas vc pode ficar e ver, por vc mesma, que não é tão ruim assim!
Eu fiquei e, É TÃO RUIM ASSIM!
Mas isso, isso é uma moutra história!

Enviado por Ban às 06:56


segunda-feira, 8 de agosto de 2005

POrra!
Escrevi e perdi.
Mas eu me conheço e basta! Pelo menos a mim...
Um dia acho o que perdi.

Enviado por Ban às 19:16


Uma mulher de um pouco menos que poucas palavras:
- 1° dia de aula. Um grito.
Outro Grito.
Não dá pra fazer mais que gritar.
Nem menos.

- Gera foi pra Guanmabi - buááááááááá- saudades...
E, não menos que e, eu tava precisando de um favorzinho dele. Vou ter de guentar a saudade e a ansiedade por 1 semaninha.
Será que eu guento?
Guento.

- Comprei um livro ontem na milésima vez que fui no shopping barra.
Todas as mil vezes esbarrei com aquelas modelos magérrimas, muito mais que brancas e... que a única inveja que elas me fazem é poder assistir o desfile. Sério, tava interessada em assistir ao Barra Fashion week e ver, ao vivo, aquele cara que tava desfilando de terno vermelho. Seria morte súbta! Juro, na hora que eu tivesse sentada lá, na primeira ou na ultima fila e o visse entrar, ia esquecer instantaneamente da minha teoria totalmente preconceituosa de que os bonitos são totalemente fúteis/burros. Se bem que eu ja tive uma prova em contrário, né 7!!!
É que tenho um amigo que é totalemente lindo e lindamente inteligente... Que ele não me leia hj - é a primeira vez que desejo isso... Fiquei com vergonha, ué!

- tô com fome. Tá, sempre to com fome, mas hj eu to mais pq to ansiosa...

- Vou voltar a escrever. Bem, tô gastando minhas energias lá, então... Talvez fique complicado sobrar algo pra cá! Mas ainda são só projetos...

Enviado por Ban às 07:30


sábado, 6 de agosto de 2005

Nota de falecimento:
Quem: eu - óbvio que é um fantasma digitando. Um fantasma de ressaca.
Sexta, 05/08/05
Salvador, Alm. Marquês de Leão.
Causa mortis: Overdose de Morangorosca caseira. By myself .
Velório: No mesmo dia, no Bond canto.
Desastroso, não tinha na lista Can´t stop loving you que eu queria, com toda força de meu coração, cantar. O que, não entendo o pq... Não o fato de não ter Can´t stop loving you, pq nessa PORRA DE CIDADE não se ouve nada além de Ivete Sangalo. Pronto, falei!

Reações adversas: Minha voz ta lindamente rouca!
Causas: 1- Não sei, pode ter sido de tanto reclamar que lá naquele buteco de quinta, cheio de aniversariante brega e com muito mal gosto pra música não tinha Cant stopo loving you!
2- pode ter sido o gelo - numa quantidade estúpida. Estupidamente grande...
Pena que eu não possa te ligar pra exibir minha voz - Hahuahuahuahuahuahuahauhu!- meu celular morreu um pouco antes de mim.

Não posso nem dizer que eu tô ruim- tô pior que isso. Numa tremedeira que me assusta às vezes. Não consigo me manter em pé, nem sentada nem deitada. Acho que nunca ingeri tanto alcool. Calei. Mesmo pq não consigo digitar mais...
...
um monte de tempo depois...
Achei a foto, tá no flog!!!!

Enviado por Ban às 10:40


quinta-feira, 4 de agosto de 2005

um escritor que não consegue esconder seu vilão, pra mim nao é um escritor...

Tô no meio de uma crise existencial e pensei, inclusive, em trocar meu perfil no ééékut pra algo mais filosófico, mas resolvi deixar de lado, afinal, a filosofia anda na moda, ultimamente. E eu tô querendo ficar à margem. Não só da moda, de tudo.
Veja só pq: a única música que escutei hj foi Best of you. É linda, extremamente envolvente, excitante e... urgente. Como diria o "dono" dela, nada tem haver com ele, mas eu acho! É uma opinião minha, não foi premeditado, apenas aconteceu - ouvi, lembrei. Simples assim. Nem quero que as outras pessoas façam a alusão / associação, deixa só comigo mesmo! Mas se for natural...
A questão é que eu não queria lembrar de nada que não tivesse, no mínimo, dentro de minha sala de monitoramento. Mas não teve jeito, a porra da música não saia de minha cabeça, assim como não saía de minha cabeça o fato de eu ter chorado pra um estranho ontem por uma dor exclusivamente minha. Não sou individualista assim, muito pelo contrário, nunca, nem em meus melhores e mais doces sonhos eu imaginei que alguém pudesse se bastar, muito menos eu. Mas ela pensa assim, e teve de ouvir isso de minha boca ontem. Não, ninguém é capaz de viver sozinho.
Nem eternamente à espera...
Mas eu simplesmente não sei que diabos está acontecendo comigo!!!Parece que eu simplesmente me acostumei a estar só, a lidar sozinha com meus medos, minhas culpas e com os erros dos outros. Bem, e com os meus...
E isso é estranho, é vazio...
Queria ser a dona da história, estar no centro do palco vazio, ser o balanço do malabarista. Sempre quis estar em evidencia, e agora, tudo que eu quero é um pouco de verdade. Sem jogos, sem truques. Apenas com uma música pra dar um toque de magia real à situação. Que sejamos apenas duas obras imperfeitas, inacabadas moldadas por uma só mão enquanto a outra atendia ao telefone. Que a voz que saia de sua boca, atinja meus ouvidos, e, que no fim das contas, seja Not Enough.
E que, se for Not enough, que seja pra sempre, pq se for só agora, not enough...

Enviado por Ban às 13:33


Primeiramente eu fiquei assustada. "Segundamente", adicionei-o no messenger.
Não podia sser diferente, né? É meu amigo do coração - aliás, queria uma figurinha de coração pra colocar aqui. TÔ muito "classificativa" ultimamente. Deve ser pora deixar as coisas mais no... real.- que eu amo e ... uma lenda viva, né! Aliás, comparado a Keith Richards e os irmãos Galagher. Hum... será que eles ainda têm fígado?
Xá pra lá...
Pára tudo!
Meleca me revolta. Só pra constar.
tsc...
Mensallão escreve com 2 ll... assim mesmo, quinem Fernando Collor, e dollar. Acho até que existe uma relação direta entre os 3. Pq mesmo, hein? Não da relação, mas dos 2 l.
Visto roupas que não são minhas - tenho e não tenho vontade de ligar. Liguei. Normal...
...
De todas as dúvidas que tenho, apenas uma me traquiliza. O que não devia acontecer, pq, ao contrário do que dizem - "benefício da dúvida" - acho que ela é bastante maléfica. Ela corrói a alma como o cancer corroi o corpo.
Não sei o que procuro/espero.
Aliás, sei sim: a imprefeição. Assim mesmo, em estado bruto. Tão fácil encontra-la, tão difícil assumi-la!
Desse jeito minha procura vai ser longa...
Ai se eu soubesse escrever... Diria que prefiro os gatos E cachorros a qqexemplar do "ser humano". Dizem que o gato é interesseiro, traçoeiro. Pelo menos não mente, e não usa do cinismo. Bem, a favor do cachorro, não tenho argumentos! Ele fala por si só!
Só vou dizer que ele não faz cachorrada...
Outra coisa, a verdade é minha aliada em duas situações que me deixam profundamente irritada! Irritações à parte, é hora de fazer algo, né! Bem, rs, já foi feito. Já foi falado o que se precisava ouvir...
...
Tô me sentindo especial - especialmente tola. É, ... tá vazio, sabe? Aqui... E não tem nada haver com festas, badalação, pompa, platéia. Tem haver comigo, tem haver com... Comigo.
...
Uma mulher de poucas palavras... Quem diria!

Enviado por Ban às 07:11


terça-feira, 2 de agosto de 2005

Isso é Definitivamente Revoltante!!!!

às vezes me pego me perguntando sobre esse não sei quê, que vem não sei onde e que me faz sentir não sei como!



às vezes me pego me perguntando tb se fosse mais perto, se tivesse por aqui, se me conhecesse, quem sabe, gostaria de mim.


Não sei... eu sei. Hj não sai nada dessas mãos.
Sindicância, já não gosto desta palavra na primeira vez que tive de usa-la. Queria estar com 10 mil argumentos fervilhando minha mente a minhas mãos neste momento, queria ter as palavras certas pra falar que a porra do governo tá errado... Tá sim! Só não... Porra! 3 pessoas que passaram um ano defendendo o serviço e a educação pública, que não queriam ficar subjugadas ao poder do coronelismo e nem deixar que a educação definhasse por conta de maus "profissionais" que, por proteção política macularam um ambiente de trabalho puro e correto! Não quero falar disso, têm ainda nessa história, muito mais de mim que deveria e que eu queria. Muito mais...
Fui dormir chorando ontem à noite. Pensei que meu antigo local de trabalho tinha ficado no passado... Que era apenas um borrão aquele ultimo ano, que era apenas um ou outro boato que eu ouvia de vez em qdo, que era apenas Mamãe - a única - que inda tá lá.

Pq eles não me chamam de volta pra abrir uma sindicancia contra mim? Eu iria adorar! Percorreria todo aquele chato caminho de contratação pública de bom grado, mesmo sabendo que, no fim, com as coisas que eu iria dizer, sairia de lá com uma quente e duas fervendo! Inda mais com a língua feriana que eu tô hj, e com a meia dúzia de coisas que eu tenho pra falar das atrocidades que o "poder" impunha lá dentro.

Poder público...
Tomara, no fim das contas, que os fatos sejam realmente apurados, e não deturpados. Tomara que o amor e o zelo dessas 3 excelentes educadoras seja, no fim das contas, louvado. Não sou chegada na impunidade, nem elas. Talvez seja por isso, numa terra onde viver impune é o melhor remédio, que elas tenham que responder por defender o que acreditam.
Há mesmo razão em se viver sem algo em que acreditar, pelo que lutar?
Boa sorte pra elas, e, ... agora eu só lamento ter saído daquele lugar prematuramente. N~çao ia me defender, ia junto com uma colega que eu admiro acima de qualquer coisa, inverter a situação e partir na caça às bruxas! Cabeças iriam rolar!
Tá, podia ser a minha, mas desde qdo acreditar em algo é ruim?
Eu acreditava naquele órgão da mesma forma que elas. Eu fui escorraçada de lá, elas tão no meio de uma sindicancia. É assim tão ruim acreditar que a educação ainda é a única saída?

Enviado por Ban às 07:21